Ter. Dez 7th, 2021
‘Duas Asas’ – rubrica dedicada ao pensamento e escritos de Edith Stein
(Parceria com o Carmelo de Cristo Redentor – Aveiro)

Cursos dados por Edith Stein: PROBLEMAS DA FORMAÇÃO DA MULHER

Javier Sancho*

 

a) Contexto

 

Indicamos a situação vivida por Edite Stein entre 1931-1932. Levada pelo seu desejo de dedicar mais tempo a São Tomás e se preparar para aceder a uma cátedra, abandonou as aulas de Espira. Consegue acabar quer a tradução do De Veritate e a confecção do Acto e Potência, mas não conseguiu o objectivo de aceder a uma cátedra. Na espera, chega-lhe outra oferta, e devido à situação em que se encontra, não duvida em aceitá-la.

Oferecem-lhe um lugar de docente no Instituto de Pedagogia Científica de Münster. Aqui começará as suas aulas a 1 de Março de 1932. O tema do curso que vai leccionar dá origem a esta obra: «No semestre de Verão, desde logo, tenho que dar aulas sobre problemas da moderna formação das raparigas…». Assim o anunciava a Roman Ingarden em carta datada de 9 de Março de 1932 (Ct 311).

O curso tinha como título original «Problemas da moderna formação das raparigas». Uma boa parte deste curso (os três primeiros capítulos) Edite preparou-o para a sua publicação, variando ligeiramente o título: Problemas da formação da mulher (Probleme der Frauenbildung). Apareceu na revista Benediktinische Monatschrift 14 (1932) 356-371. 436-444; 15 (1933) 24-44. 110-122. Foi publicado posteriormente por completo (cf. OC IV, 449 ss).

Dava as suas aulas aos sábados pela tarde cada 15 dias, das 18.30 às 20.00h. A própria Edite escolheu este horário para facilitar a participação dos estudantes universitários.

 

b) Estrutura

 

O curso completo apareceu dividido sem seis partes, claramente desdobradas pela autora, e os temas centrais da exposição são:

  1. Panorama sobre a problemática desde o ponto de vista da situação actual da mulher. Tentativas de solução nos últimos decénios.

  1. Panorama sobre a problemática
  2. Tentativas de solução

  1. O material humano da formação

  1. A sua importância para a formação
  2. Métodos de investigação
  3. Contributos dos distintos métodos
  4. Esboço do material humano de formação

  1. O objectivo da formação

  1. Finalidade segundo a ordem eterna
  2. Distinção entre objectivos, ordem eterna e exigências do tempo

  1. Formadores e meios de formação

  1. As comunidades
  2. Formação e meios de formação

  1. Trajectos de formação

  1. Casa paterna e escola
  2. Incorporação do sistema de formação em tipos escolares

  1. Formação religiosa da mulher

 

c) Conteúdo

 

O esquema geral da obra dá-nos já uma ideia aproximada do amplo conteúdo. Edite já tratou muitos dos temas nas suas conferências. Agora retoma-os e dá-lhes uma forma mais sistemática e científica. Inclusive o tema do capítulo sexto, incompleto no manuscrito, corresponde à sua conferência «Tarefa da mulher como guia da juventude para a Igreja». Procuramos fazer uma síntese de cada uma dos temas tratados.

O capítulo primeiro é de carácter introdutório. Edite analisa a situação real que a mulher vive na Alemanha do seu tempo. Realça os problemas que a mulher tem que enfrentar quer dentro do matrimónio, da maternidade, da profissão, quer em relação com a vida social e política, e as questões da fé. Apresenta também a posição que a sociedade, o Estado e a Igreja têm da mulher. Nesta altura, Edite apresenta a problemática em relação à formação das raparigas. Num segundo momento, dentro deste mesmo capítulo introdutório, examina as soluções que foram dadas aos problemas levantados: desde o problema da especificidade feminina até as respostas dos diversos movimentos feministas, especialmente dentro do cristianismo.

No segundo capítulo, Edite afronta o problema da especificidade feminina. Desde a tomada de consciência do material humano a formar, passando pelas diversas metodologias possíveis que os diversos estudos humanísticos e teológicos oferecerem, até chegar a resgatar o material humano a formar.

Uma vez localizados os problemas e objectivado o material a formar, apresenta no terceiro capítulo o objectivo da formação. Para tal terá em conta, quer as exigências do momento histórico, quer a doutrina revelada. Dedica especial atenção a evidenciar os aspectos que definem a plenitude da pessoa humana à luz da Revelação: enquanto aplicável a todo o ser humano, enquanto específico da mulher e enquanto indivíduo.

O quarto capítulo presta atenção aos agentes de formação e aos meios. Entre os agentes considera a família, o Estado, a Igreja, prestando atenção especial a quantos se dedicam à formação das raparigas. Entre os meios examina a finalidade da escola juntamente com os factores objectivos do espírito no seu valor objectivo: tais como a palavra e a linguagem, as obras humanas e a referência a Deus como formador do homem.

O capítulo quinto, titulado «trajectos da formação», estuda a interacção formativa entre o lar e a escola, entre o que poderia ser um internato ou um externato. A continuação apresenta soluções para a incorporação do sistema formativo nos tipos de escola: escola primária e escola superior.

O último capítulo aparece só com o título: «Incorporação da mulher no hábeas Christi mysticum (Formação religiosa). Como já se fez notar acima, o conteúdo estaria muito relacionado com o que desenvolve na conferência titulada: «Tarefa da mulher como guia da juventude para a Igreja».


Javier Sancho. 100 Fichas sobre Edith Stein. Edições Carmelo, Avessadas, 2008. Pp. 128-129.

 

Imagem de Daniel Reche por Pixabay