Dom. Nov 28th, 2021

Notícia e foto recolhidas da Agência Ecclesia

Organização católica registou mais pedidos de ajuda, por via telefónica

O presidente cessante da Cáritas Diocesana de Aveiro disse hoje à Agência ECCLESIA que há um aumento “preocupante” da violência doméstica, área onde a instituição católica tem respostas sociais.

“As situações de violência doméstica têm um aumento que nos preocupa”, afirmou o diácono José Ferreira Alves.

A Cáritas Diocesana de Aveiro oferece atendimento e encaminhamento das vítimas, uma casa-abrigo para homens vítimas de violência doméstica e acolhimento de emergência para mulheres e crianças.

A organização católica tem também um Centro de Alojamento Temporário, com capacidade para 10 pessoas, com lista de espera, neste momento; “situações mais críticas” são alojadas em pensões.

O presidente cessante explica que a organização católica trabalha, atualmente, num sistema misto de teletrabalho e serviço presencial; os contactos ligados à violência doméstica “tem aumentado, via telefone”.

Em Aveiro, explica José Ferreira Alves, a Cáritas diocesana e os grupos paroquiais respondem pelo apoio à população.

Durante a pandemia, houve mais pedidos de ajuda, sobretudo na área da alimentação e nos medicamentos, face também ao impacto do desemprego crescente.

“As áreas onde temos maior procura é a alimentação e depois um pouco na medicação”, acrescentou, adiantando que muitos empregos fecharam e “há maior desemprego”.

O diácono José Ferreira Alves foi nomeado esta semana ecónomo diocesano, por um período de cinco anos, e deixa a presidência da Cáritas de Aveiro depois de 16 anos e cinco meses de serviço, que “deixam sempre boas recordações”.

O bispo de Aveiro, D. António Moiteiro, nomeou João José da Maia Vieira Barbosa como novo presidente da Cáritas Diocesana, cuja direção vai tomar posse esta quinta-feira.

CB/OC