Dom. Out 24th, 2021

MANUEL ALTE DA VEIGA (Texto)

1, O conceito bíblico de salvação enraíza-se nas experiências e situações concretas: libertação de um perigo mais ou menos grave, da prisão, da escravatura, de um erro judiciário, de uma batalha (sobretudo de ser vencido).

2, A nação inteira também se sente necessitada de salvação, como se vê particularmente nos tempos de exílio, de destruição massiva pelos povos inimigos, etc. Os profetas e salmos reflectem a dor e também a necessidade de tirar conclusões de âmbito político e  de justiça social.

3, Para os profetas, a conversão era condição prévia para se dar a salvação. Posteriormente, a “tora” foi entendida como meio seguro de salvação, bastando cumpri-la fielmente para se ganharem merecimentos (Jesus e Paulo atacam este “negócio”, mas a história da Igreja, até hoje, não dá bom exemplo). Por outro lado, aparece a ideia de que só Israel gozará da salvação definitiva.

4, Pouco antes de Cristo (exemplo da comunidade de Qumrán), esperava-se a “batalha” final entre os filhos das trevas e os filhos da luz, dando lugar a um estado terreno de felicidade.

5, O termo grego usado no N.T. para salvação (“soteria”) designa o bem-estar quer corporal quer espiritual, no sentido ainda corrente, implicando o conceito de libertação. Mas sempre que se gera bem-estar (como nos “milagres” de Jesus), entra em jogo uma realidade mais profunda: a fé. Por isso se diz que com Jesus chegou a salvação a todos os homens. Onde Deus é o Senhor, vai desaparecendo o domínio do mal. O evangelho será “palavra de salvação” (Act.13,26), “caminho de salvação” (Act.16,17), “força de Deus para a salvação” (Rom.1,16).

6, Sobretudo para Paulo, a salvação presente consiste na libertação, pela morte de Cristo, do pecado e da lei; no perdão dos pecados e na filiação divina. É a “participação da glória de nosso Senhor Jesus Cristo”(2Tess.2,13ss), que só será plena com a vinda de Jesus no fim dos tempos (Rom.8,24). Mas a salvação é pura graça de Deus (Rom.10,9ss), que porém se estende a todos os homens.

7, A História da salvação é a presença contínua de Deus na nossa História. A libertação de situações negativas é já uma experiência da salvação definitiva. Mas a comunidade cristã deve esforçar-se por alcançar a salvação (Paulo diz que é uma luta ou corrida de fundo). O evangelho não é apenas anúncio mas força, sensível ao Espírito Santo, mediante a fé em Jesus Cristo, que se torna assim o “líder” da salvação.

8, A experiência de salvação pode dar-se em qualquer ser humano com atitude religiosa. Todo o mundo é salvo pelo amor de Deus.

 

BIBLIOGRAFIA em que me apoiei directamente:

BALZ, Horst ET AL. :Diccionario Exegético Del Nuevo Testamento. Ed. Sígueme,1998.

HAAG, Herbert: Liberdade aos Cristãos. Ed. Círculo de Leitores, 1998.

SACRAMENTUM MUNDI, Enciclopédia Teológica. Ed. Herder, 1978.

VAN DER LEEUW: La Religion dans son Essence et ses Manifestations. Phénoménologie de La Religion. Ed. Payot, 1970.

 Aveiro, Páscoa de 2017.