Sáb. Out 16th, 2021
Notícia e foto recolhidas da Agência Ecclesia

População não esquece a padroeira com concerto sineiro e lançamento de livro

O provedor da Irmandade de Santa Joana Princesa, em Aveiro, disse à Agência ECCLESIA que devido à pandemia a procissão “não se realiza”, esta quarta-feira, pelas ruas da cidade, mas haverá, após a Eucaristia, às 16h00, do “Memorial de Santa Joana”.

“O memorial de Santa Joana é um códice, dos finais do século XV ou início do século XVI, que existia nas monjas dominicanas e que tem a descrição de toda a vida, particularmente dos 18 anos que ela viveu em Aveiro”, referiu Nuno Gonçalo da Paula.

O livro «Memorial de Santa Joana e Crónica da Fundação do Mosteiro de Jesus», “revisto ao nível do português”, pode ser adquirido, esta quarta-feira, na Sé de Aveiro ou então na livraria da diocese, frisou o provedor.

Este é o segundo ano que a procissão de Santa Joana Princesa não se realiza devido ao Covid-19, todavia Nuno Gonçalo da Paula realça que a padroeira da cidade, apesar de “não ser uma santa popular, talvez por ser figura real”, tem uma devoção “muito grande” na região.

A “tristeza da população” é notória porque a procissão “demora seis meses a preparar” e costuma ter a presença das irmandades da cidade e das entidades oficiais porque é o dia do município.

Para além de ser uma devoção regional, a festa de Santa Joana Princesa “tem a contingência” do dia 12 de maio estar relacionado com as aparições da Cova da Iria, acentuou.

“Estamos muito colados à data de Fátima”, lamentou o provedor da Irmandade de Santa Joana Princesa.

A impossibilidade de se realizar a procissão “não se pode colmatar”, mas a organização tenta “que as pessoas sintam o seu amor e fervor a Santa Joana Princesa no coração”, sublinhou à Agência ECCLESIA o vigário geral da Diocese de Aveiro, padre Joaquim Rocha.

Joana de Portugal, também chamada Santa Joana Princesa, embora oficialmente apenas seja reconhecida pela Igreja Católica como beata, nasceu a 06 de fevereiro de 1452, em Lisboa, e faleceu a 12 de maio de 1490, em Aveiro.

A princesa Joana foi beatificada em 1693 pelo Papa Inocêncio XII, tendo festa a 12 de maio e o Papa Paulo VI, a 5 de janeiro de 1965, declarou-a especial protetora da cidade de Aveiro.

O processo de canonização “está demorado, mas existem avanços” e “esperam-se novidades de Roma”, contou o vigário geral da diocese.

“Ao nível do povo de Aveiro vamos tendo manifestações de carinho e algumas graças”, disse.

No dia do feriado municipal, pelas 10h00, realiza-se um concerto de sinos nas torres sineiras de Aveiro (Sé, Paços do Concelho, Vera Cruz, Carmo, Museu de Aveiro/Santa Joana) e, no final do dia, a inauguração da avenida D. António Francisco dos Santos, na “zona nova da cidade”, salientou o padre Joaquim Rocha.

LFS