Qua. Out 20th, 2021

MANUEL ALTE DA VEIGA (Texto)

9. A natural necessidade de salvação está intimamente ligada à nossa natural INSATISFAÇÃO – provocada desde o mais leve mal-estar até ao extremo sofrimento. Por um lado, a insatisfação gera curiosidade, criatividade, aventura, dedicação ao bem-estar da sociedade… bem como à “sede de Deus” (religião natural); por outro lado, leva à inveja, à violência… e a múltiplas estratégias erradas, por vezes profundamente perversas, de “obter salvação” eliminando “os outros” como sendo estes a maior ameaça à minha liberdade (“o inferno são os outros”).

10. A Fenomenologia da Religião aponta a importância do “filho” já nos primeiros tempos: ele é a esperança dos vivos e a consolação dos mortos. O bom filho é salvação para o pai em qualquer situação. O filho adquire uma dimensão divina (herói), representada no poder benfazejo da Primavera – que deixa de ser uma força meramente natural e que é sempre esperada no fim do mau tempo, como “epifania” desse Herói. Qualquer Herói pode pois ser visto e venerado como salvador (Evemerismo: os deuses são heróis sacralizados pelos homens). Um traço importante do Salvador é a cura de qualquer tipo de doença (Isaías,61,1-2; Lucas,4,18ss). O Herói triunfa das potencias hostis à vida, mas também morre: Mas é como a morte da Primavera que “ressuscitará” (“o grão tem que morrer para dar muito fruto”, João,12,24). A figura histórica do Salvador é pois a encarnação periódica do SALVADOR. Um muito antigo “canto de apelo” à Primavera termina assim:
Ó salvador, brota da terra!
Sentimo-nos asfixiados pelo pior sofrimento,
Os nossos olhos não vêem senão a morte eterna.
Ah! Vem! Com a tua mão forte que nos conduz
Da miséria à pátria.
11. O Cristianismo, como realidade (profundamente) humana, não podia deixar de conter em si estas aspirações já dos tempos mais antigos e que ainda hoje perduram com novas roupagens. Pessoalmente, sinto-me bem com esta presença do divino como traço fundamental da Humanidade, desde que há história. Jesus Salvador foi “obediente” ao SALVADOR (Filipenses,2,8), dum modo talvez inigualável.

12. Hoje, melhor do que salvação seria dizer Libertação. Jesus propõe-nos viver uma liberdade desconhecida quando diz: Vim para procurar e salvar os perdidos; Vim como Luz; Vim para dar testemunho da Verdade; Vim trazer o Fogo; Vim para que tenham Vida… Na sua dedicação a salvar os Homens, agiu como homem livre que transmitia Liberdade. Já no Genesis, Deus criou o ser humano à sua imagem porque o fez Livre para escolher e decidir. Para colaborar na salvação de todo o ser humano.
BIBLIOGRAFIA em que me apoiei directamente:

BALZ, Horst ET AL. :Diccionario Exegético Del Nuevo Testamento. Ed. Sigueme,1998.
HAAG, Herbert: Liberdade aos Cristãos. Ed. Círculo de Leitores, 1998.
SACRAMENTUM MUNDI, Enciclopédia Teológica. Ed. Herder, 1978.
VAN DER LEEUW: La Religion dans son Essence et ses Manifestations. Phénoménologie de La Religion. Ed. Payot, 1970.

Aveiro, Páscoa de 2017.