Seg. Jun 14th, 2021

À VOLTA DO NOVO TESTAMENTO 2

Pe. Júlio Franclim do Couto e Pacheco

Leia aqui a obra Epístola aos bispos do Egipto, do Papa Zeferino


Zeferino, 14° sucessor de Pedro na cátedra de Roma, governou a Igreja entre os anos 198 e 217 d.C..

Natural de Roma, foi eleito em 199. O seu pontificado caracterizou-se por duras lutas teológicas que levaram, por exemplo à excomunhão de Tertuliano.  Assim como, durante o seu pontificado a heresia patripasiana da negação da Santíssima Trindade, incutida por Práxeas, reergueu-se furiosamente e, por isso, foi duramente combatida pelo Papa.

Zeferino foi o primeiro Pontífice que desejou criar uma catacumba na Via Ápia, cujos cuidados foram por ele confiados ao diácono Calisto (e, por isso, chamada catacumba de Calisto.

Zeferino estabeleceu que os fiéis católicos, depois dos 14 anos, comungassem, pelo menos na ocasião da Festa da Páscoa. Determinou o uso da patena e dos cálices sagrados, até então confeccionados em madeira, que deveriam ser feitos ao menos de vidro.

Na Epístola aos Bispos do Egipto o papa expõe brevemente dois temas: primeiro, exorta a alguns bispos da região que tinham problemas em suas dioceses para que permanecem firmes e fiéis, confiando nas promessas do Altíssimo e sofrendo com paciência as injustiças que estavam sofrendo; numa segunda parte, o Papa Zeferino oferece breves instruções para a ordenação dos presbíteros e diáconos.

Foi martirizado em 20 de dezembro de 217. A festa de São Zeferino, Papa e Mártir é celebrada no dia 20 de Agosto.