Qui. Out 28th, 2021
Notícia e fotos recolhidas da Agência Ecclesia

Compra de ventiladores, disponibilização de edifícios e acompanhamento das populações mais pobres são marca em tempo de pandemia

As dioceses e instituições da Igreja Católica em Portugal estão a oferecer respostas solidárias para enfrentar a crise provocada pelo Covid-19, desde a compra de ventiladores à disponibilização de edifícios para profissionais de saúde e IPSS.

O Santuário de Fátima assumiu a compra de três ventiladores e a Diocese de Viana do Castelo e a Irmandade Senhor Bom Jesus da Cruz, de Barcelos, estão com campanhas em curso para a aquisição destes aparelhos, com as quais é possível contribuir.

A Cáritas Portuguesa, presente em todo o território, ativou desde a última sexta-feira os seus Planos de Contingência: a entrega de alimentos está a ser assegurada por técnicos ou voluntários, “que garantem que as famílias em situação de fragilidade financeira ou que habitualmente recebiam este apoio, continuam a ter acesso aos alimentos, nomeadamente através da entrega de cabazes e através do apoio domiciliário”.

Este trabalho está, na maioria dos casos está a ser feito, em articulação local com as Câmaras Municipais e com as Juntas de Freguesia, adianta a organização católica, em comunicado divulgado através da internet.

Nos Açores, as instalações da sede da Cáritas Diocesana foram disponibilizadas as entidades locais para que possam ser utilizadas em situação de emergências para o descanso de pessoal médico ou para o acolhimento de doentes.

Também no Algarve, a Cáritas disponibilizou alimentos para responder aos 74 emigrantes que foram colocados em quarentena.

Em Aveiro, onde há uma resposta de apoio a sem-abrigo o horário foi alargado de modo a que todos os que estejam nestas circunstâncias possam ter onde se recolher, com higiene, alimentação e roupa limpa.

Apesar da suspensão do peditório público nacional, devido à propagação do novo coronavírus, a Cáritas Portuguesa continua a recolher donativos através de uma plataforma online, em https://caritas.pt/donativosonline/.

As dioceses de SantarémViana do CasteloBragaAveiroAngra (Açores) e Leiria-Fátima disponibilizaram instalações e material logístico para alojar profissionais de saúde ou de IPSS, além de apoiar as atividades da Proteção Civil.

A Diocese do Porto ofereceu o Pavilhão nº 4 do Seminário do Bom Pastor (Ermesinde) à SRNorte da Ordem dos Médicos, o que ainda não se revelou necessário.

As instituições sociais da diocese de Bragança-Miranda dão “apoio gratuito” para ajudar nas compras, em deslocações à farmácia ou para uma “escuta ativa” através do número 935430388.

A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Silves, Diocese do Algarve, também está a dinamizar um serviço de ‘compras em casa’ para ajudar os idosos, as pessoas doentes, os isolados e sozinho para prevenir o contágio do coronavírus – 9159333097.

Desde sábado, o padre Sandro Vasconcelos está disponível para ir às “compras, farmácias, jornais e revistas e apoio espiritual” para as pessoas “mais velhas”, que não têm esse apoio, e partilhou o seu número de telemóvel – 937999990.

O grupo de acólitos da Paróquia de Santa Cecília, no Arciprestado de Câmara de Lobos (Diocese do Funchal), está a disponibilizar-se para ajudar a população mais idosa, indo às compras ou à farmácia.

Os Amigos à Mão, grupo da Paróquia de Cascais, lançou um serviço de compras para idosos e doentes crónicos que não podem sair de casa para ir à farmácia ou ao supermercado – basta enviar um email para amigosamao@gmail.com ou ligar (entre as 12h00 e as 14h00) para 967055211.

As associações do setor social e solidário em Portugal disponibilizaram os seus hospitais e lares para fazer face à pandemia do Covid-19, num momento em que o país se encontra em estado de emergência, reforçando o apoio domiciliário.

A Comunidade Vida e Paz (CVP) lançou uma campanha nas redes sociais, para ajudar os sem-abrigo, e mantém em funcionamento a ações na rua e o “Espaço Aberto ao Diálogo”.

O Banco Alimentar, com o apoio da ENTRAJUDA e em articulação com a Bolsa do Voluntariado, anunciou a criação de uma Rede de Emergência Alimentar – rede.emergencia.alimentar@bancoalimentar.pt.

A Confederação Portuguesa do Voluntariado informa que a plataforma para a oferta de voluntários e “encontro de necessidades concretas”, www.portugalvoluntario.pt , está disponível para quem quer ser voluntário ou quem tem “necessidades de voluntariado”.

OC