Qui. Out 28th, 2021

MITOS MESOPOTÂMICOS VÁRIOS

Investigação e tradução: Pe. Doutor Júlio Franclim do Couto e Pacheco

Leia, aqui, Gilgamesh e a Terra dos Vivos


Uma terceira versão envolvendo combates com monstros, explicados depois
como tratando-se de dragões, é encontrada no poema sumério Gilgamesh e a
Terra dos Vivos. Aqui, Gilgamesh mata o monstro Huwawa, o guardião dessa
«Terra dos Vivos». A narração debruça-se sobre a angústia do homem perante a
morte. Gilgamesh parte com o seu fiel servidor Enkidu numa expedição que tem o
propósito de abater ou recolher os cedros desse país e trazê-los para Uruk. Antes,
aconselha-se com Utu, o deus do Sol, o qual vela pelo país dos cedros, e leva-lhe
oferendas.
Utu neutraliza os sete demónios referentes a sete desastres naturais. Ainda com
a ajuda de Utu, Gilgamesh prossegue galgando com Enkidu e cinquenta
combatentes uma série de sete cadeias de montanhas. Após o esforço adormece
profundamente. Só a custo Enkidu o acorda e o incita a apressar-se, advertindo-o
sobre o terrível Huwawa, o guarda dos cedros. Este observa a sua aproximação e
tenta evitar que entrem nos seus domínios, mas Gilgamesh, após derrubar sete
árvores, encontra-se agora face a face com o monstro-dragão nos aposentos deste.
Huwawa parece amedrontar-se. (Continua)


Imagem: Possível representação de Gilgamés como Mestre dos Animais, agarrando um leão no seu braço esquerdo e uma cobra na mão direita, encontrada em Dur Xarruquim