Dom. Jun 13th, 2021

POR DETRÁS DA BÍBLIA  VII

Mesopotâmia: Inscrições Reais VI – A Inscrição De Dario Em Behistun

Pe. Júlio Franclim do Couto e Pacheco

Leia, aqui, A Inscrição De Dario Em Behistun

Entre os muitos achados arqueológicos em termos de escrita, chegou até nós uma quantidade enorme de inscrições reais, com um arco de tempo que vai de 2.500 a.C. até ao sec. IV a.C.,  umas relativamente simples e curtas mas outras que se apresentam como autênticas crónicas dos feitos dos diversos reis.

As inscrições reais eram textos com um carácter monumental redigidos por monarcas desejosos de assegurar a sua fama, e de afirmar a sua piedade ou de imortalizar a memória dos seus actos principais, tal como a construção de raiz ou a reconstrução dum templo ou de um palácio, ou para celebrar os acontecimentos gloriosos do seu reinado. Este foi um género literário bastante característico da Mesopotâmia antiga. As mais velhas inscrições reais remontam à época suméria arcaica e inauguraram uma tradição que não se deteve até à época selêucida.

Das muitas centenas de páginas de inscrições apenas apresentamos alguns dos mais significativos, privilegiando aqueles que referem nomes e factos por nós conhecidos através da Bíblia mas que até há poucos anos eram desconhecidos por se apresentarem em escrita não decifrável. A descodificação só foi possível com a Inscrição de Dario em Behistun, que também apresentamos, texto trilingue que foi uma autêntica «Pedra de Roseta» para a escrita cuneiforme.

As inscrições sumérias preocupavam-se em documentar o tempo presente visando o seu futuro conhecimento. Algumas delas viam de forma retrospectiva as circunstâncias e os factos passados, revelando um sentido do pormenor histórico pouco comum nesses tempos recuados. Catalogavam e sistematizavam, pretendendo criar ordem e inteligibilidade no caos natural. Ordenavam os períodos históricos do passado, estando as inscrições ao nível da documentação arquivística, ou seja, do simples encadeamento de dados particulares não contextualizados num todo.

Até há poucas dezenas de anos atrás, os textos bíblicos eram a única fonte de conhecimento de acontecimentos e pessoas do mundo à volta de Israel, o que levou muita gente a pôr em causa a sua veracidade, tratando algumas figuras e acontecimentos como meras invenções. As inscrições reais que hoje é possível ler vêm consolidar e esclarecer os dados fornecidos pela Bíblia.