Ter. Dez 7th, 2021
Pedro em casa
Artigo e foto recolhidos do SNPC

Além de celebrar a missa, qual é a profissão do padre?

O padre não tem tempo para se aborrecer! Todavia, não se deve falar de um trabalho como o do teu pai ou da tua mãe. A sua função é de ser padre, isto é, tornar Jesus presente no meio dos seres humanos. A isto ele dedica toda a sua vida, para além dos horários do escritório ou da fábrica.

No dia em que é ordenado, é-lhe confiada uma dupla missão: anunciar Cristo em todos os lugares que possa – na sua paróquia, na capelania, na prisão, na vida – e agir em seu nome através da celebração dos sacramentos. É por isso que a missa está no coração do tempo do padre e da sua “profissão”, porque é também através da Eucaristia que ele torna Jesus presente.

Deus responde quando peço ajuda?

Como tu, outras pessoas clamam a Deus. Escuta-as: Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste? Eu grito o dia inteiro, meu Deus, e Tu não me respondes (cf. Salmo 21). Como resposta, escutamos um profundo silêncio. Mas clamar a Deus é já falar-lhe da nossa confiança: Tu, Senhor, tens um projeto de amor para mim, eu abandono-me entre as tuas mãos.

Na Bíblia, Deus convida-nos a confiar nele: Pedi e ser-vos-á dado, batei e abrir-se-vos-á (cf. Lucas 11,5,13). O que podemos pedir a Deus, diz Jesus, é que nos dê o seu Espírito Santo. Este Espírito é um guia que nos ajuda a tomar as boas decisões, um consolador nos momentos difíceis. E, lembra-te, na cruz Jesus perguntou ao Pai porque o abandonava, e depois disse-lhe: «Entre as tuas mãos, deponho o meu espírito». Ao terceiro dia, Deus ressuscitou-o.

Como é que se faz para rezar?

Já tentaste rezar? Fizeste silêncio, fechaste os olhos, e então… nada! Esperas alguma coisa… Um sinal, uma voz, uma imagem, uma presença? Não importa o quê, mas uma resposta. E ficas com a impressão de que não há ninguém do outro lado. Rezar, é simples. Sabes falar, também sabes escutar e ficar calado. Não é preciso mais. Deus está presente em todo o lado e está sempre disponível para te escutar.

Se não sabes o que dizer, fala-lhe simplesmente como a um amigo muito próximo. Diz-lhe bom dia, obrigado, por favor, perdão… Reserva também tempo para o escutar. Provavelmente, Ele não responderá com palavras. Mas encontrarás uma resposta na beleza daquilo que te rodeia, na gentileza daqueles que te amam, na paz e na alegria do teu coração. Tudo aquilo que é bom e belo é uma resposta de Deus às tuas orações.

Porque é que nunca se é completamente feliz?

A felicidade… Todos falam dela, todos a procuram… Se perguntares às pessoas que te rodeiam em que momento foram completamente felizes, ficarás surpreendido. Segundo as idades, segundo as pessoas, não terás as mesmas respostas. Um estudante falará do seu sucesso nos exames, os pais recordarão o nascimento dos seus filhos…

Talvez tenhas a impressão que não consegues ser feliz “a fundo”. Alguns dir-te-ão, até, que nesta Terra não é possível. Os cristãos pensam que há uma felicidade que só se conhece verdadeiramente quando se encontra Deus. Mas isso não os impede de serem plenamente felizes desde já! Há felicidades humanas tão fortes, que dão um sentido a toda uma vida. Fica certo que também tu és chamado a essa felicidade. Cabe a ti construi-la e acolhê-la.

Os meus pais não acreditam em Deus, será que irão para o Paraíso?

O que se chama “Paraíso” não é uma recompensa desligada da nossa vida. Na Bíblia, Jesus fala disso várias vezes. Ele fala sobretudo de «vida eterna». Ele dirige-se a Deus seu Pai, e diz: A vida eterna é conhecer-te, o único Deus, o verdadeiro Deus, e de conhecer aquele que Tu enviaste, Jesus Cristo (cf. João 17,3).

No Evangelho de Mateus, Jesus narra também uma história impressionante do rei que dá a sua herança a todos aqueles que o socorreram, acolheram. As pessoas perguntam-lhe: Senhor, quando foi que te vimos, que tiveste fome e que te alimentamos? E o rei responde-lhes: De cada vez que o fizestes a um destes pequeninos que são os meus irmãos, foi a mim que o fizestes (cf. Mateus 25,34-40). A pessoa que se compromete com os pobres, os fracos, ama aqueles que estão à sua volta. Deus conhece o coração dos teus pais, vê como te amam e está presente nesse amor.

Porque é que Deus escolhe certas pessoas e não outras?

Talvez conheças a história de Abraão, que um dia, ouviu Deus chamá-lo: Deixa o teu país. Vou dar-te uma terra para ti e para os teus filhos. E a história de Moisés, que Deus escolheu para libertar o seu povo escravo do faraó do Egito. Hoje, como nos tempos da Bíblia, Deus escolhe certas pessoas para lhes confiar missões particulares. Porque é que Ele chama certas pessoas para serem padres, monges ou religiosos, e não outras? Só Deus sabe.

Estes homens, estas mulheres, não são mais sábios, mais inteligentes ou mais fortes que os outros. Mas Deus escolhe-os, e isso muda as suas vidas. Os cristãos acreditam que Deus escolhe cada pessoa, mesmo se não nos chama a todos a fazer a mesma coisa. Cada pessoa pode ouvir Deus dizer-lhe: Tu és o meu filho, minha filha muito amada, e isso tem o poder de mudar toda a vida!

Será que a minha avó, que morreu, me vê do Céu?

Nós acreditamos que Jesus não abandona as pessoas na morte, como Deus Pai não abandonou o seu Filho no túmulo, mas ressuscitou-o. Acreditamos, a partir das palavras de Jesus, que aquando da nossa morte, Ele nos acolhe numa vida nova. Essa vida, não a podemos conhecer. Mas acreditamos que queles que estão vivos com Deus não estão congelados. Amam, agem. Foi por isso que Santa Teresa de Lisieux disse: Quero passar o meu Céu a fazer o bem na Terra.

Não sabemos se eles nos veem como nós vemos, mas acreditamos que nós e eles continuamos a estar unidos em Jesus Cristo. Algumas pessoas continuam a viver uma união forte com aqueles que as deixaram, através da oração ou no momento da Comunhão. Por vezes, também, em pequenos acontecimentos, sentimos que aqueles que nos deixaram estão sempre presentes, mas de uma maneira diferente…

Porque é que a missa é sempre igual?

Imagina que descobriste um tesouro de tal maneira importante, que muda toda a tua vida. Tu falarias dele à tua família, e depois transmiti-lo-ias aos teus filhos, e os teus filhos aos seus filhos… Os cristãos têm um tesouro inestimável que dá sentido à sua vida: Deus ama de tal maneira os seres humanos, que venceu a morte. Após dois mil anos, eles transmitiram este tesouro de geração em geração.

É por isso que na missa as palavras e os gestos são sempre os mesmos: são as mesmas palavras e gestos de Jesus. É muito tranquilizador saber que as palavras de Jesus se transmitiram até nós sem nunca perder o seu sentido, não? A missa é mais do que uma simples memória: é um verdadeiro encontro com Deus e com todos aqueles que o amam. Todas as coisas verdadeiramente importantes, ou mesmo vitais, repetem-se: respirar, comer, ver as pessoas que amas… E a missa também é vital para os cristãos.

Porque é que se diz que Jesus é Salvador?

Se olharmos à nossa volta, vemos bem que nem tudo acontece como desejaríamos. Gostaríamos de ser felizes e viver em paz, mas apesar de todos os nossos esforços, é difícil. Precisaríamos de nos desembaraçar do egoísmo, do medo, da injustiça, e, sobretudo, temos uma profunda necessidade de ser amados.

Nós, cristãos, acreditamos que Jesus veio libertar-nos do mal e daquilo que nos faz mais medo, a morte. Isto não quer dizer que nunca mais se vai sofrer e nunca mais se vai morrer. Jesus oferece-nos a salvação. Se acreditamos que Ele é Salvador, podemos viver os acontecimentos difíceis, os sofrimentos, na confiança. Sabemos que, pela sua morte e ressurreição, os momentos difíceis e a morte são uma passagem. Jesus amou-nos de tal maneira ao ponto de morrer. Ele promete-nos acompanhar-nos sempre e acolher-nos para uma vida nova e feliz, no dia da nossa morte.

Se a Bíblia diz a verdade, porque é que todas as pessoas não acreditam em Deus?

Acreditar que «a Bíblia diz a verdade» é já acreditar em Deus! Muitas pessoas não acreditam em Deus por motivos diferentes. O primeiro é que não vimos com os nossos olhos o que está escrito na Bíblia. Outra razão, para muitos, é que se Deus existisse verdadeiramente, impediria o sofrimento e a morte. E para aqueles que duvidam dos Evangelhos, não é possível que Jesus tenha ressuscitado: um morto não pode levantar-se e estar vivo.

Não, acreditar em Deus não é evidente. Nunca teremos provas científicas. Deus não se impõe, mas deixa-nos ir até Ele com toda a nossa inteligência. Acreditar é sempre confiar naqueles que escreveram a Bíblia e nas palavras do próprio Jesus. E, depois, nunca se acredita em Deus de uma vez por todas. A fé é uma busca, um caminho pelo qual avançamos com outros crentes.

Sebastien Antoni
In Le Pèlerin
Trad. / edição: Rui Jorge Martins
Imagem: D.R.