Qui. Out 28th, 2021

I Domingo da Quaresma – 21 de fevereiro

Desafio: Crê no Evangelho

 1. Introdução

Metanoia – Olá Quaresma! Sabes que dia é hoje? É o primeiro Domingo da Quaresma. E o desafio, que te lancei na 4.ª feira de Cinzas, pensaste nele?

Quaresma – Claro, e agora que passamos mais tempo em casa, pensei muito e percebi que há coisas que posso mudar e outras que basta melhorar para sentir-me uma criança melhor todos os dias. E para não me esquecer, apontei tudinho no meu caderno.

Metanoia – Boa ideia! Assim, não corres o risco de te esqueceres. Hum… estou a ver que estás mesmo disposta a converter-te, como eu! Vamos aproveitar o momento e ouvir o Evangelho deste 1.º Domingo da Quaresma?

2. Evangelho – Mc 1,12-15

Naquele tempo,

o Espírito Santo impeliu Jesus para o deserto.

Jesus esteve no deserto quarenta dias e era tentado por Satanás.

Vivia com os animais selvagens e os Anjos serviam-n’O.

Depois de João ter sido preso,

Jesus partiu para a Galileia

e começou a pregar o Evangelho, dizendo:

«Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus.

Arrependei-vos e acreditai no Evangelho».

3. Reflexão e compromisso

Metanoia – Percebeste? O Tempo da Quaresma assemelha-se a um deserto. E os 40 dias são o número de dias que Jesus esteve no deserto, onde era muitas vezes tentado, era posto à prova.

Quaresma – Bem, até Jesus foi tentado, teve que enfrentar as forças do mal ao longo da sua vida. Já sei o que são as tentações! Durante estes dias apercebi-me de algumas, mas apesar de saber quais são, elas ainda não desapareceram.

Metanoia – As tentações não desaparecem assim… o jejum e a penitência, que são alguns pequenos sacrifícios, como não comer chocolate, fazer a cama, ajudar todos os dias os pais, ajudam a convertermo-nos, a sermos crianças melhores.

Quaresma – E a Igreja, não nos pode ajudar neste tempo em que caminhamos pelo deserto, ao longo dos 40 dias?

Metanoia – Claro que sim! Por isso é que mudaram algumas coisas nas missas, ainda não reparaste?

Quaresma – Hummm… Não estou a perceber…

Metanoia – Então, utiliza-se o roxo como símbolo do tempo de mudança e reflexão, não temos flores na igreja, não há o Glória, nem o Aleluia e os cânticos também são diferentes…

São mudanças que ajudam a refletir, pois não são tão festivas.

Quaresma – Assim parece muito triste ir à Missa.

Metanoia – Pelo contrário… estas mudanças ajudam a estarmos calmos para refletirmos e pensarmos melhor na nossa vida, sem que nada nos distraia.

E este é o 2.º desafio, Quaresma:

«Vou pensar que tentações existem à minha volta, identifico uma e esforço-me por ser melhor».

No primeiro domingo da Quaresma, vamos colocar a segunda peça do nosso painel.