Sáb. Out 23rd, 2021

O P.e Armando Baptista da Silva, do instituto do Sagrado Coração de Jesus (Padres Dehonianos), completa hoje 25 anos de ordenação presbiteral. Foi ordenado no Porto, no dia 14 de julho de 1996. No próximo domingo, dia 18, D. António Moiteiro, Bispo de Aveiro, preside à missa de ação de graças, nos jardins da Casa do Sagrado Coração de Jesus, em Esgueira, às 10h30. Hoje, na Igreja de Esgueira, há adoração, a partir das 18h45, seguida de missa presidida pelo padre aniversariante.

Armando Baptista da Silva nasceu em Sandim (Vila Nova de Gaia) no dia 9 de fevereiro de 1969. Na paróquia de Sandim foi batizado e fez a primeira comunhão. Logo no 5.º ano de escolaridade entrou para o Seminário Missionário Padre Dehon, em Portelinha, Gondomar, por influência de uma tia, que, tendo lá o seu filho, levava o sobrinho Armando quando o visitava.

A formação do jovem Armando continuou em Coimbra, onde fez o secundário, e no seminário de Esgueira, tempo do noviciado. Em Lisboa fez os dois primeiros anos do curso de teologia, que são dedicados à formação filosófica, seguindo para um estágio pastoral em Madagáscar. Regressou a Lisboa para os quatro anos de teologia, na Universidade Católica Portuguesa.

Na altura da ordenação de diácono e de padre residia na comunidade dos padres dehonianos da paróquia da Boavista, no Porto. Depois de ordenação, por D. Júlio Tavares Rebimbas, no dia 14 de julho de 1996, o seu principal trabalho, durante dois anos, foi na pastoral juvenil e vocacional dos dehoniamos. “Eu dava apoio a uma quarentena de grupos juvenis no norte do país, grupos que apoiavam as missões com oração e recolha de fundos”, explica.

Padre Armando em Madagáscar

 

De 1998 a 2010, foi missionário em Madagáscar, tempo que avalia como “muito rico, pela evangelização e fundação de comunidades”, mas que também teve um “senão”, como explica: “A nossa capacidade de inculturação, de aceitar a diversidade não é automática, é limitada”. De regresso à Europa, antes de trabalhar em Esgueira, esteve dois anos na Bélgica, aonde acompanhou comunidades portuguesas e estudou pastoral no instituto Lumen Vitae.

Em setembro de 2013 assumiu com o P.e Daniel, in solidum, a paróquia de Esgueira. Residindo na Casa do Sagrado Coração de Jesus, com os padres Daniel, Andrade, Rafael e Alberto, sente-se chamado a viver e ajudar a viver uma “radical fraternidade universal”, algo que vai experimentando na comunidade sacerdotal em que reside e na paróquia que serve. “O meu sacerdócio e a minha missão passam pelo reconhecimento da filiação divina e pelo apelo à fraternidade universal”.

Notícia no semanário diocesano Correio do Vouga, edição de 14 de julho de 2021