Qui. Out 28th, 2021

Oratório Peregrino

Um oratório à maneira de um viático para tempos de carestia
Uma proposta desenvolvida em parceria com

Irmãs do Carmelo de Cristo Redentor – Aveiro


XL Passo | Maria, a mais terna das mães

«Antes de pegar na pena, ajoelhei-me diante da imagem de Maria (aquela que nos deu tantas provas das maternais preferências da Rainha do Céu para com a nossa família), e supliquei-lhe que guie a minha mão a fim de eu não traçar uma única linha que não lhe agrade» (A 2 r).

«De tarde fui eu que recitei o acto de consagração à SS ma Virgem; era muito justo que eu falasse em nome das minhas companheiras à minha Mãe do Céu, eu que tão pequenina ficara privada da minha Mãe da terra… Empreguei todo o meu coração para lhe falar, para me consagrar a ela, como a criança que se atira para os braços de sua Mãe e lhe pede que a proteja» (A 35 v).

«A Santíssima Virgem fez-me sentir que fora verdadeiramente ela quem me sorrira e me curara. Compreendi que velava por mim, que era sua filha, e por isso não podia dar-lhe outro nome senão o de “Mamã” pois me parecia ainda mais terno que o de Mãe…» (A 56 v).

«Nas bodas de Caná, tendo a SS ma Virgem pedido a Jesus que socorresse o senhor da casa, não lhe respondeu que a sua hora ainda não tinha chegado?… Mas depois da provação, que recompensa! A água muda-se em vinho…, Lázaro ressuscita!… Assim procedeu Jesus com a sua Teresinha: depois de a ter provado durante muito tempo, satisfez-lhe todos os desejos do seu coração…» (A 67 v).

«Rezar o terço sozinha (envergonho-me de o confessar), custa-me mais do que pôr um instrumento de penitência… Sinto que o rezo tão mal! Por mais que me esforce por meditar os mistérios do rosário, não consigo fixar o meu espírito… Durante muito tempo desolei-me por esta falta de devoção que me surpreendia, pois amo tanto a Santíssima Virgem, que me deveria ser fácil fazer em sua honra orações que lhe são agradáveis. Agora desolo-me menos, pois penso que a Rainha dos Céus, sendo minha Mãe, deve ver a minha boa vontade e contentar-se com ela» (C 25 v).

«A Santíssima Virgem dá-me a entender que não está zangada comigo, pois nunca deixa de me proteger logo que a invoco. Se me vem uma inquietação, uma dificuldade, volto-me depressa para ela e, como a mais terna das mães, encarrega-se sempre dos meus interesses. Quantas vezes me aconteceu, ao falar às noviças, invocá-la e sentir os benefícios da sua maternal protecção!…» (C 25 v-26 r).

«Não são os trabalhos de Marta que Jesus censura, a esses trabalhos se submeteu humildemente a sua divina Mãe durante toda a sua vida, pois tinha de preparar as refeições da Sagrada Família. Era apenas a inquietação da sua ardente hospedeira que Ele queria corrigir» (C 36 r).

«Ó Virgem Imaculada! Tu és a Doce Estrela

Que me dás Jesus e me unes a Ele.

Ó Mãe! Deixa-me repousar sob o teu manto

Somente por hoje» (P 5, 11).

«Ah! dá-me, Jesus, umas asas brancas

Para que eu tome o meu voo em direcção a Ti

Quero voar para as margens Eternas

Quero ver-Te, ó meu Divino Tesouro!

Quero voar para os braços de Maria

Descansar nesse trono de eleição

E receber da minha Mãe querida

O doce Beijo pela primeira vez!…» (P 33, 2).

«Meditando a tua vida no santo Evangelho

Ouso olhar-te e aproximar-me de ti

Acreditar que sou tua filha não me é difícil

Pois vejo-te mortal e sofrendo como eu…» (P 54, 2).

«Esperando o Céu, ó minha Mãe querida,

Quero viver contigo, seguir-te em cada dia

Mãe, ao contemplar-te, afundo-me absorta

Descobrindo no teu coração abismos de amor.

O teu olhar maternal desvanece os meus receios

Ensina-me a chorar, e a regozijar-me.

Em vez de desprezar as alegrias puras e santas

Tu queres partilhá-las, dignas-te abençoá-las» (P 54, 18).

«Todos os dias a SSma Virgem teve uma vela acesa» (Ct 21).

«Elevemo-nos acima daquilo que passa, conservemo-nos a distância da terra, mais alto o ar é puro, Jesus esconde-Se mas nós adivinhamo‑l’O, derramando lágrimas enxugamos as d’Ele, e a SSma Virgem sorri, pobre Mãe, tanto sofreu por causa de nós, é justo que a consolemos um pouco chorando e sofrendo com ela…» (Ct 57).

«Espero que o meu desejo seja realizado. Mas para isso é preciso rezar, rezar muito, se pudesses acender uma vela a Nossa Senhora das Vitórias… tenho tanta confiança nela!…» (Ct 92).

Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face


A Virgem em Prece | Giovanni Battista Salvi da Sassoferrato [c. 1650]