Cardoso Ferreira (textos)

Parceria com o Correio do Vouga

Aristides de Sousa Mendes terá vivido os primeiros cinco anos da sua estadia de seis anos na cidade de Aveiro, de maio de 1894 ao início do ano letivo de 1899/1900, num imóvel situado na Rua do Gravito, uma vez que o nome do seu pai, José de Sousa Mendes, surge inscrito no Assento de Irmãos da Irmandade do Senhor Jesus dos Passos, como morador no Gravito, e com a profissão de Delegado.

Na altura, e desde 31 de março de 1884, essa Irmandade estava sedeada na igreja do extinto Convento do Carmo, de Aveiro.

José de Sousa Mendes foi Delegado do Procurador Régio na Comarca de Aveiro entre 26 de maio de 1894 e 11 de janeiro de 1900. No dia 12 de janeiro de 1899 tomou posse, como juiz, na Comarca de Povoação, nos Açores, e no dia 23 de junho de 1899 foi transferido para a Comarca do Redondo, no Alentejo.

Apesar da saída dos pais e do irmão mais novo, José Paulo, nascido em Aveiro, no dia 23 de outubro de 1895, Aristides de Sousa Mendes, juntamente com o seu irmão gémeo, César, ainda permaneceu na cidade de Aveiro até ao final do ano letivo de 1899/1900, período em que residiu no Colégio Aveirense, localizado nas proximidades da Rua do Gravito, também na freguesia da Vera Cruz.

Nos anos em que permaneceram na cidade de Aveiro, os dois irmãos gémeos frequentaram e concluíram, os cinco anos do então Curso Geral dos Liceus no antigo Liceu Nacional de Aveiro, atual Escola Homem Cristo, situada na freguesia da Glória.

Por estes dados, podemos concluir que a vivência aveirense de Aristides de Sousa Mendes se centrou no espaço que vai da Rua do Gravito (e, mais tarde, do Colégio Aveirense) ao edifício da Escola Homem Cristo.

De Aveiro, Aristides e César seguiram para a cidade de Évora, onde, no liceu local, frequentaram e concluíram os dois anos do então Curso Complementar dos Liceus.

Biografias com algumas incorreções

Os dados documentados sobre a estadia de Aristides de Sousa Mendes em Aveiro permitem corrigir algumas informações contidas em biografias do Cônsul de Portugal em Bordéus.

Aristides (e o irmão César) viveram cerca de seis anos em Aveiro, e os pais cerca de quatro anos e meio, e não, como refere António Moncada de Sousa Mendes, na sua obra “Aristides de Sousa Mendes. Memórias de um Neto” (editada em 2017, pela Desassossego): “Os gémeos mudaram muitas vezes de casa e de terra. Nasceram em julho de 1885 e o pai, José de Sousa Mendes, iniciou a carreira de magistrado exatamente nesse ano, o que fez com que a família tivesse saído de Cabanas de Viriato, primeiro para Vila Nova de Foz Côa, e depois para Mafra, em 1886. De lá, seguiram para Aveiro, e três anos depois mudaram-se para os Açores. Em 1899 a família instalou-se no Redondo…”

Como vimos, Aristides e César fizeram os cinco primeiros anos no liceu de Aveiro, e os últimos dois no liceu de Évora, e não como escreve Miriam Assor, em “Aristides de Sousa Mendes. Um Justo Contra a Corrente” (editado em 2009, pela Guerra e Paz): “Aristides e César completam os estudos primários em Mangualde, encetam o liceu em Évora e terminam-no em Aveiro”.


Foto: Pais de Aristides de Sousa Mendes