Mesopotâmia: Leis e códigos 5 – Leis dum rei anónimo

POR DETRÁS DA BÍBLIA  III

Mesopotâmia: Leis e códigos 5 – Leis dum rei anónimo

Pe. Júlio Franclim do Couto e Pacheco

Leia, aqui, as Leis dum rei anónimo 

 A partir de sete fragmentos duma tabuinha foi possível reconhecer algumas leis formuladas de maneira semelhante à dos textos de Ur-Namma e Lipit-Ishtar. O texto, uma copia escolar do típico ‘código de leis’, não podia fazer parte das Leis de Lipit-Ishtar, pois o epílogo conservado em ambos os textos era diferente. Por conseguinte, tinha que ser parte das Leis de Ur-Namma (texto do qual não se conservou o epílogo), ou a um outro código distinto e desconhecido até agora. A hipótese mais plausível parece ser a de que este fragmento seja a parte final, até agora desconhecida, das Leis de Ur-Nammu. O texto, que procede da cidade de Sippar, encontra-se num estado de conservação muito fragmentário, pois só chegou até nós a parte inferior de três colunas do reverso duma tabuinha que, provavelmente, continha a totalidade do código. A secção das leis que se conservou aborda questões relacionadas com propriedades imóveis (§ 1-3, 16-19), o matrimónio (§ 4-5), retribuições a médicos (§ 69) e outros trabalhadores (§ 10-11) e empréstimos (§ 12-14). Segue-se o Epílogo, de que se conservou só uma parte, no qual se lançam as habituais maldições contra quem se atrever a modificar o conteúdo do texto.