Programa

SDEC | Departamento da Juventude

Lema

Com ousadia e ardor… pela estrada de Emaús

A Diocese inicia este ano um novo projeto pastoral de três anos, na qual o DPJ se insere e da qual toma o lema, sendo que este ano, vamos viver A vocação batismal, caminho de santidade.

Acreditamos na ousadia de tantos animadores, que procuram nos caminhos da vida dos jovens dar a conhecer Jesus Cristo. Acreditamos na ousadia dos jovens, de viver, desafiar, acolher e encontrar caminhos novos de viver e anunciar jesus Cristo.

A somar à realidade Diocesana, vivemos um tempo de alegria com toda a Igreja Universal, em que acontecerá o Sínodo sobre Os jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional, quepropõe o discernimentocomo atitude de fundo para projetualizar a pastoral juvenil, e o acompanhamento como método.

Como não podia deixar de ser, o DPJA no seu programa para esta ano tem em conta estas duas realidades: diocesana e o Sínodo.

O presente programa insere-se num projeto trienal da Diocese, e no do DPJA que se baseia no processo de discernimento proposto pelo Papa e pelo Sínodo: Reconhecer, Interpretar, Escolher. Este ano será a fase do Reconhecer.

 

Objetivos do DPJA

RECONHECER: Conhecer a realidade juvenil da Diocese

Animadores

Reunir com os animadores de todos os arciprestados, apresentando o caminho de reflexão que o Sínodo propõe (discernimento e acompanhamento) e escutando os seus contributos sobre e para a pastoral juvenil (processo constante de discernimento).

Estabelecer uma relação de comunhão com os animadores da Diocese.

Comunicar

Fortalecer, criar/re-criar a nossa comunicação com os animadores e com os jovens.

Reconhecer

Iniciar o processo de Discernimento Pastoral da Diocese proposto pelo Papa e pelo Sínodo (Reconhecer,Interpretare Escolher) conducente a um projeto de pastoral juvenil que responda aos desafios atuais dos jovens da Diocese de Aveiro.

Concretização

Discernir – Escutar

Na linha do discernimento, e segundo as suas etapas propostas pelo Papa Francisco, sentimos a necessidade de fazer uma leitura apurada da realidade juvenil.

  1. Escutar os assistentes das equipas arciprestais que acompanham os jovens mais de perto, logo que possível no início do ano, quando, terminadas as mudanças dos padres, as equipas de clero arciprestais tenham escolhido os assistentes das equipas de pastoral juvenil.
  2. Reunir com os animadores dos arciprestados (todos). Estes encontros servirão também como momentos formativos em que apresentaremos a reflexão que o Sínodo está a fazer.
  3. Escutar o que os jovens nos querem dizer, assim, queremos realizar uma conferência tipo TEDx, (Agora falas tu) em que queremos ouvir vários jovens, de várias proveniências, idades, experiências de fé e sem fé…
  4. Escutar as restantes realidades que trabalham com os jovens: pastoral das escolas, pastoral do ensino superior, pastoral familiar, movimentos…
  5. Aproveitaremos a reflexão e leitura da realidade proporcionada por outras instâncias (a nível nacional por exemplo) para enriquecer a nossa leitura.

Acompanhar

  1. Valorizar as propostas de retiros e reflexão que vários grupos, paróquias, arciprestados e movimentos já propõem.
  2. Continuar a propor um itinerário de fé e espiritualidade, que reflita também a questão vocacional: ATOs.
  3. Enquanto espaços de oração, valorizar o que já é feito pelos vários grupos, paróquias, arciprestados e movimentos, nomeadamente orações de Taizé, assim o DPJA propõe-se divulgar e ajudar a valorizar os espaços e tempos de oração já existentes e organizados.
  4. Os momentos de encontro entre os jovens são essenciais, e podem ser momentos marcantes na vida quotidiana dos jovens, assim, continuaremos a organizar o Dia Mundial da Juventudee a participação no Fátima Jovem; este ano propomos também a participação no Encontro Europeu de Taizéem Madrid.
  5. Porque a música é um veículo e uma linguagem que chega aos jovens, propomos a realização do FÉ’stival.
  6. Sendo a Internet e as redes sociais um habitatnatural dos jovens, queremos melhorar a nossa presença e proximidade neste mundo.
  7. Com os animadores, queremos estabelecer uma relação de proximidade, que passa pelos encontros arciprestais, ou até paroquiais se alguma paróquia entender importante. Esta proximidade passa também pela melhoria da nossa comunicação, por isso, queremos consolidar o site animadorje a newsletter, enquanto espaços de comunicação e partilha.
  8. Acreditamos que a formação dos animadores é importante. Assim, propomos a continuidade do FormAr’Te.
  9. Procuraremos estabelecer parcerias e estreitar sinergias com vários movimentos e instâncias, nomeadamente o Serviço de Espiritualidade do Seminário, com a qual iremos organizar em conjunto Exercícios Espirituais para Jovens.

Ano Missionário

No seguimento da marcação para outubro de 2019 de um mês missionário pelo Papa Francisco, a Conferência Episcopal Portuguesa decidiu convocar um ano missionário. Assim iremos procurar uma maior proximidade com o SDAM ao longo deste ano.

Algumas atividades do SDAM

– Ao longo dos meses de setembro e outubro: pré-inscrição no voluntariado missionário no site do SDAM.

– 27 de outubro de 2018: sessão de esclarecimento sobre o Voluntariado missionário e inscrição final às 10h30 no CUFC.

– 3 de novembro de 2018: primeiro encontro de formação do Voluntariado Missionário

Programa de Rádio “Estamos juntos!” na Rádio Terra Nova (responsabilidade do SDAM):

– 19 outubro; 16 novembro; 14 dezembro; 18 janeiro; 15 fevereiro; 15 março; abril não há porque coincide com a sexta-feira santa; 17 maio; 14 junho

Oração Missionária

– Em cada mês o SDAM estará numa paróquia de cada um dos arciprestados, sendo que pretende envolver os grupos de jovens desse arciprestado nessa Oração, caso seja possível.

Podes ver a calendarização das nossas atividades aqui:

Calendário