Notícias | «Nobel» da Teologia para o canadiano Charles Taylor, estudioso da secularização

Notícia e foto recolhidas da Agência Ecclesia

Prémio Ratzinger 2019 distingue ainda teólogo jesuíta Paul Béré, do Burquina Faso

O filosófo canadiano Charles Taylor, de 87 anos, é um dos vencedores da 9ª edição do ‘Prémio Ratzinger’, considerado o ‘Nobel’ da Teologia, anunciou o Vaticano.

O anúncio da distinção foi feito esta segunda-feira, em conferência de imprensa, no Vaticano, com a presença do presidente do Conselho Pontifício da Cultura, cardeal Gianfranco Ravasi, para quem esta distinção oferece “uma dimensão adicional em relação à Teologia”.

Charles Taylor, vencedor do Prémio Templeton em 2007, é autor da obra ‘A Era Secular’, na qual reflete sobre a saída da religião do espaço público e as condições da fé, entre outros temas.

O galardoado apresenta, nas suas reflexões, um questionamento da afirmação da individualidade em contraposição ao “bem comum”, propondo um maior sentido comunitário e de abertura ao outro.

Em declarações à imprensa, o padre Federico Lombardi, presidente do Conselho de administração da Fundação Joseph Ratzinger, explicou que esta escolha quis “privilegiar a filosofia na sua reflexão sobre a fé no mundo contemporâneo”.

A edição de 2019 distingue ainda o teólogo jesuíta Paul Béré, do Burquina Faso, pelo seu trabalho para a “inculturação do Evangelho e a evangelização no continente africano”.

O prémio vai ser entregue pelo Papa Francisco, a 9 de novembro.

OC