Notícias | Cardeal Tolentino de Mendonça e José Carlos Seabra Pereira no “Jornal de Letras”

Artigo e foto recolhidos do SNPC

O cardeal José Tolentino de Mendonça, primeiro diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, é a figura de capa da mais recente edição do “Jornal de Letras” (JL), que lhe dedica oito páginas, a que se acrescenta o destaque dado ao atual responsável, José Carlos Seabra Pereira.

«A qualidade e repercussão da intervenção de José Tolentino de Mendonça na comemoração do 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, e a sua distinção como o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva, vieram de novo chamar a atenção para uma rara personalidade da cultura e da literatura, do pensamento e da Igreja em Portugal», acentua, no editorial, o diretor do quinzenário.

Nenhuma das vertentes que caracteriza o arquivista e bibliotecário da Santa Sé se sobrepõe, «antes mutuamente se enriquecendo e completando, constituindo um todo harmónico, fortalecido e valorizado pela forma de ser e de estar da pessoa, do cidadão», assinala José Carlos Vasconcelos, que conclui com um excerto das «belíssimas palavras» proferidas, no mosteiro dos Jerónimos, no Dia de Portugal.

«Toda a sua vida tem sido navegação», aponta o título do texto redigido pelo cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, que salienta: «O acolhimento de que goza, nos vários leitores e auditórios, confessionais ou não, advém-lhe certamente da forma, que é apurada e luminosa. Mas principalmente da maneira como ouve, da interrogação que induz e do horizonte que abre. Cultura é cultivo, sementeira, para um fruto que virá depois, surpreendente».

Sobre o poeta, biblista, ensaísta, tradutor são recolhidos textos dos escritores António Carlos Cortez (“A poesia crónica”), Francisco José Viegas (“Os livros e as árvores”) e Leonor Xavier (“O amigo permanece”).

“Uma voz de esperança” (Isabel Capeloa Gil, reitora da Universidade Católica), “Carisma da inclusão” (P. António Martins, professor da Faculdade de Teologia que substituiu o cardeal Tolentino como responsável pela comunidade da Capela do Rato, “Em busca de um rasto de fulgor…” (Guilherme d’Oliveira Martins, administrador da Fundação Calouste Gulbenkian), e “Sentado à soleira do instante” (Alfredo Teixeira, diretor do Instituto de Estudos de Religião da Faculdade de Teologia), completam os autores que comparecem nesta evocação.

Este especial, que na capa tem como título “Sua eminência, o poeta”, abre com um artigo de Maria Leonor Nunes, e inclui três poemas inéditos, do “Caderno de viagem a Salina e a Stromboli”, dos quais extraímos o terceiro: «Que rápido avança o degelo/ como carta rasgada em pedaços/ o viajante quando voltar/ não encontrará as próprias pegadas/ na paisagem agora nítida/ ancorada às suas margens/ as andorinhas em revoada/ descobrem a pupila de Deus».

Esta edição do JL dedica três páginas a José Carlos Seabra Pereira, com entrevista e crítica, a propósito da recente publicação do «monumental estudo» “As literaturas em língua portuguesa”, no qual «percorre todos os caminhos das literaturas lusófonas», num «esforço inédito, pela sua amplitude geográfica e cronológica».

O volume «é a obra de uma vida, não que José Carlos Seabra Pereira, face aos inúmeros livros publicados e aos prémios institucionais recebidos, precisasse ainda de provar fosse o que fosse, mas o livro ora recenseado, nascido do convite de Carlos Ascenso André, do I.P. [Instituto Politécnico] de Macau, vai doravante marcar a vida do autor com o selo da mais alta qualidade ensaística, merecedora de todos os prémios possíveis», sublinha o escritor e crítico Miguel Real.

Rui Jorge Martins
Imagem: Fotografia da capa do “Jornal de Letras” 1298 (det.) | D.R.