Modos de interação entre ciência e religião | Nono passo: Impulso

Modos de interação entre ciência e religião

Nono passo: Impulso

Miguel Oliveira Panão

Blog & Autor

 

“Por isso se conjugam a fé e a dúvida. A dúvida preserva a fé de repousar num sistema de crença; a dúvida obriga a fé a novas formulações (…) A dúvida é um aguilhão que, uma e outra vez, purifica a (…) fé de projecções e representações peculiares.”, (Adaptado de Tomáš Halík e Anselm Grün, “O Abandono de Deus”, Paulinas, 2016)

Qualquer movimento começa com um impulso. Aquela pequena e simples faísca que origina uma reacção “energética” e gera movimento. Será a dúvida este impulso? Esta faísca?

A dúvida que se conjuga com a fé é a que positivamente contribui para o seu aprofundamento. As dúvidas que não levam ao aprofundamento, não são dúvidas, mas perplexidades, incompreensões interiores, gritos de experiências negativas que podem ter, ou não, a ver com a fé.

A fé é um grande apoio pessoal e comunitário que provém do sentido e significado das experiências que fazemos relacionadas com a dimensão espiritual da vida humana. Por ser apoio, tende a ”repousar num sistema de crença” que fecha tanto a mente quanto um sistema de descrença pode fechar. Daí a importância da dúvida positiva que mantém aberta a nossa mente, independentemente do sistema de crença, reformulando a nossa compreensão da realidade para se aproximar da Verdade.

Por outro lado, quando entramos em modo de repouso, estamos menos despertos, começamos a vaguear com a mente, o que não é mau por si, mas pode levar a “projecções e representações peculiares”. A dúvida é o aguilhão que desperta a mente não resignada ao que sabe (ou pensa saber), mas capaz de reconhecer o quanto há ainda a descobrir.

A dúvida preserva e “pica”, mas é isso que faz dela um impulso? Creio que não. O impulso não está na dúvida, mas na conjugação que pode fazer com a fé. Pois, quando não conjugamos, nada preservamos ou sentimos, e a relação entre as dimensões material, mental e espiritual, vive na indiferença. Assim, conjugar dúvida e fé é o impulso que permite dar um nono passo na descoberta da Realidade-que-tudo-determina e continuar a caminhar.