Mesopotâmia: Lamentações 2 – Lamentação por Eridu

Mesopotâmia: Lamentações 2 – Lamentação por Eridu

5 Janeiro, 2018 Não Por admin_cult

POR DETRÁS DA BÍBLIA  IV

Mesopotâmia: Lamentações 2 – Lamentação por Eridu

Pe. Júlio Franclim do Couto e Pacheco

Leia, aqui, a Lamentação por Eridu

As Lamentações, conhecidas como balag, constituíram um dos grandes géneros literários sumérios. Nelas, os poetas descreviam desastres históricos, o sofrimento das pessoas e das divindades. Neste último caso, tratava-se de verdadeiras elegias ou cantos fúnebres. Fisicamente, estas composições chegaram aos nossos dias plasmadas num conjunto de tabuinhas de argila escritas com caracteres cuneiformes.

                As lamentações de Ur fazem referências a um extenso período de seca e desertificação que praticamente destruiu esta cidade, que era o centro de um dos chamados «estados irrigados». A desertificação foi acompanhada por uma terrível carestia e consequente mortandade. Este conjunto de catástrofes naturais foi acompanhado por uma forte decadência e instabilidade do poder político da cidade.

                Sorte semelhante tocou às outras cidades mesopotâmicas. O texto que contém A Lamentação de Ur contém uma (talvez a primeira) das cinco «lamentações» pelas cidades caídas em ruína entoadas pelas divindades tutelalares das mesmas cidades.

                As outras lamentações são:

  • a Lamentação por Sumer e Ur
  • a Lamentação por Nippur
  • a Lamentação por Eridu
  • a Lamentação por Uruk

                O Livro das Lamentações do Antigo Testamento, que se refere à destruição de Jerusalém, em 587 a.C. feita por Nabucodonosor II da Babilónia, é semelhante no estilo e no tema a estas primeiras lamentações mesopotâmicas. Lamentações semelhantes encontram-se também no Livro de Jeremias, no Livro de Ezequiel e no Livro dos Salmos (Sl 137).