No 25.º aniversário da morte de JÚLIA D’ALMENDRA (1904-92) (4)

No 25.º aniversário da morte de Júlia d’Almendra (1904-92) (4) A sua formação em Paris Por Domingos Peixoto Abandonada definitivamente a carreira de violinista, Júlia d’Almendra passa a dedicar-se em exclusividade ao estudo e promoção do canto gregoriano e da música sacra em geral. Após alguns anos de leccionação no Instituto de Serviço Social (entre…

No 25.º aniversário da morte de JÚLIA D’ALMENDRA (1904-92) (3)

No 25.º aniversário da morte de Júlia d’Almendra (1904-92) (3) A missão de Júlia d’Almendra Por Domingos Peixoto Nos primeiros anos da década de 40, esteve em Portugal a eminente musicóloga francesa Solange Corbin a fazer uma importante pesquisa sobre as fontes documentais mais antigas da música gregoriana nos arquivos de igrejas e conventos[1]; Júlia…

No 25.º aniversário da morte de JÚLIA D’ALMENDRA (1904-92) (2)

No 25.º aniversário da morte de Júlia d’Almendra (1904-92) (2) Do violino ao Canto Gregoriano Por Domingos Peixoto Júlia d’Almendra nasceu em Samões – Vila Flor (Trás-os-Montes) em 3 de Outubro de 1904; fixou-se em Lisboa em 1912-13, altura em que inicia os estudos de violino, tendo-se apresentado no Teatro Nacional de S. Carlos aos 11…

No 25.º aniversário da morte de JÚLIA D’ALMENDRA (1904-92) (1)

No 25.º aniversário da morte de Júlia d’Almendra (1904-92) (1) Nota introdutória  Por Domingos Peixoto “Não sei se alguma vez a Igreja terá premiado um seu servidor com mais justiça do que o fez neste momento com a Sr.ª D. Júlia d’Almendra”. São palavras do eminente compositor bracarense Cónego Dr. Manuel Faria, na cerimónia em que Júlia…