OBJETIVOS

A cultura é o pulsar dos povos. A etimologia da palavra mostra que nela se repercute a força do amanhã. Enquanto particípio futuro de um verbo latino que fala de colheita e cultivo, a palavra «cultura» expressa a importância da memória como condição de construção de qualquer identidade projetada para o futuro.

Como se não bastasse o dinamismo que a ideia de cultura exprime, acresce a esta constatação o reconhecimento de que o Cristianismo é uma religião que se define, geneticamente, como uma religião encarnada: «nada do que é humano lhe é estranho» (Terêncio), pois «a glória de Deus é o homem vivo» (S. Ireneu de Lyon).

Nesta confluência, o trabalho de uma comissão diocesana da cultura não pode senão entender-se como algo fundamental e nunca marginal à ação da Igreja. Perder a cultura é perder a humanidade. Aqui se situará a ação desta comissão, que tomou posse em dezembro de 2015, tendo iniciado funções, oficialmente, em 7 de janeiro de 2016, com a sua primeira reunião, em que esteve presente o Bispo de Aveiro, D. António Moiteiro.

A comissão diocesana da cultura, enquanto estrutura da ação pastoral diocesana, foi fundada por decreto do então Bispo de Aveiro, D. António Marcelino, datado de 25 de agosto de 2005, cabendo-lhe, entre outras funções, a publicação da revista Igreja Aveirense, e visando concretizar, como mais sublimes objetivos, a promoção do diálogo entre a Igreja e a Cultura e a valorização da diversidade de expressões culturais presentes no território desta diocese.

Luís Manuel Pereira da Silva

(Presidente da Comissão Diocesana da Cultura)